O que é Design Gráfico?
por Marcos Paes de Barros Orientador dos Cursos de "Design Gráfico" e "História do Design" da ABRA

Partirei do pressuposto de que o Design Gráfico é uma ramificação do desenho industrial (Design), integrante da habilitação em programação visual (antigamente, Comunicação Visual), conforme determina o MEC.
 
Essa integração da comunicação visual ao desenho industrial se deu possivelmente visando uma formação mais adequada ao profissional, que há de desenvolver mensagens visuais que equacionam sistematicamente dados ergonômicos, tecnológicos, econômicos, sociais, culturais e estéticos, que atendam concretamente às necessidades humanas.
 
O Design Gráfico se dá em planos bidimensionais e é voltado para a impressão. Seu surgimento remete aos tempos da Revolução Industrial, quando aflorou a necessidade da comunicação visual para informar as pessoas vindas do campo (muitas delas não alfabetizadas) para trabalhar nas fábricas dos grandes centros urbanos.
 
A ICOGRADA (Internacional Council of Grafic Design Associations)afirma que o Design Gráfico é uma atividade técnica de análise, organização e métodos de apresentação de soluções visuais para problemas de comunicação.
 
A ADG (Associação dos Designers Gráficos do Brasil) classifica o Design Gráfico como um processo técnico e criativo que utiliza imagens e textos para comunicar mensagens, idéias e conceitos a fim de informar, identificar, sinalizar, organizar, estimular, persuadir e entreter, resultando na melhoria da qualidade de vida das pessoas.
 
O professor e designer gráfico André Villas-Boas endossa a idéia original de que o Design Gráfico é uma sub-área da programação visual e que junto com o projeto de produto, são habilitações do Design ou desenho industrial e afirma que:
 
“Design Gráfico é a área de conhecimento e a prática profissional específicas que tratam da organização formal de elementos visuais (tanto textuais quanto não-textuais) que compõem peças gráficas para reprodução, que são reproduzíveis e que têm um objetivo expressamente comunicacional.” (VILLAS-BOAS, 1999)
 
Vale a pena salientar que o Design Gráfico não está sozinho dentro do desenho industrial. Existem duas grandes vertentes do Design, o Design (ou projeto) de produtos, que tem por objetivo o desenvolvimento de projetos de produtos e utensílios tridimensionais e a comunicação visual, que compreende o Design Gráfico e outras sub-áreas, como o design de embalagens, que também possui fundamentos do projeto de produtos e o design multimídia, que é voltado para ambientes digitais como a web, jogos e televisão, entre outros.
 
Segundo Villas-Boas, o Design vive hoje uma grande crise ocasionada pela diversificação de seus parâmetros conceituais de projeto decorrentes da exaustão dos cânones firmados ao longo do século e pela vulgarização da massificação de sua prática advinda da informatização.
 
Fato é que existem atualmente diversos cursos de formação em Design Gráfico e outras novas modalidades de Design e a antítese disso é não haverregulamentação governamental para a profissão.
 
Isso dificulta ainda mais uma definição precisa do termo e o que ele compreende. Fazendo uma alusão a Gombrich, seria difícil afirmar que não existe design, e sim, designers.
 
Brincadeiras à parte, me arrisco em afirmar que o Design Gráfico é uma atividade projetual, funcional, comunicacional, comercial, visual e reproduzível intencionalmente por meios mecânicos.
Espero que as definições supracitadas posicionem o leitor de uma forma clara sobre o tema e impulsione novas pesquisas e discussões sobre o assunto.
 
Bibliografia
 
ADG do Brasil. Design Gráfico. Disponível em: <http://www.adg.org.br/html/mod_design_grafico.asp>
Acessado em setembro de 2006.
 
AZEVEDO, Wilton. Os Signos do Design. SP. Global, 1994.
 
VILLAS-BOAS, André. O que [é e o que nunca foi] Design.
Rio de Janeiro. Ed. 2 AB. 1999.



   
Design: Estúdio 196